Bandeira do BrasilBandeira da InglaterraBandeira da EspanhaBandeira da FrançaBandeira da ItáliaBandeira da AlemanhaBandeira do JapãoBandeira da China

Cronograma - Linha Bíblica-profética



Idade Antiga

3.300 a.C.

Apolo

Encarnação do Princípio Sagrado
"Apolo e Orfeu cantam o Amor, a Ciência e a Arte, como sendo as trilhas que à libertação interior conduzem." - Livro: Orações e Poesias Divinas
"O Apolo Hiperbóreo significa, pois, a descida do Céu sobre a Terra, a encarnação da beleza espiritual no sangue e na carne, o fluxo da verdade transcendente pela inspiração e pela vidência." - Livro: A Bíblia dos Espíritas

2.900 a.C.

Hermes Trismegisto

Encarnação do Princípio Sagrado
Ocultismo - Tábua de Esmeralda - Bíblia dos Egípcios
Hermes Trismegisto, "Hermes, o três vezes sábio" legislador egípcio e filósofo. Hermes foi o primeiro a proclamar o Divino Monismo ou a Ciência da Unidade. A Tábua de Esmeralda deu origem à Alquimia. Teve seus ensinamentos registrado através de trinta e seis livros sobre teologia e filosofia, além de seis sobre medicina, todos perdidos ou destruídos após invasões ao Egito, a literatura Hermética foi quase toda perdida. O estudo sobre sua filosofia é denominado hermetismo. Hermes foi inspiração para diversos pensadores da antiguidade como Sócrates, Platão e Aristóteles.
"O verdadeiro sábio é aquele que sabe ter Deus em si e tudo faz para com Ele se unir."
"O de dentro e o de fora, o de cima e o de baixo, tudo é um, porque só um é o Princípio."

"Hermes, foi o Grande Iniciado que mais conseguiu saber sobre a Divina Essência Criadora, Sustentadora e Destinadora de tudo e de todos." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas
"O verdadeiro criador do conceito ocultista de par com as felizes verdades que proclamou, também truncou o caminho a muitos, se é que dele partiram certas disposições doutrinárias. Vejamos alguns luminosos textos: "Isso não depende de nós. A Verdade não se dá. Ou nós a encontramos em nós mesmos, ou nunca a encontramos. Nós não podemos fazer de ti um adepto: é necessário que tu o consigas por ti mesmo." - Livro: O Pentecoste
"O livro grego, conhecido sob o nome de Hermes Trismegisto, encerra certamente os restos alterados, mas infinitamente precisos, da antiga teogonia, que é como que o Fiat Lux de que Moisés e Orfeu receberam os primeiros raios. A Doutrina do Princípio-Fogo e do Verbo-Luz, encerrada na Visão de Hermes, é como o vértice e o centro da iniciação egípcia." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Foram estudados Hermes Trismegisto e Pitágoras. Suas respectivas teologias brilharam celestialmente na palavra do verboso e lúcido expositor. Verdadeiramente, não haveria avalanches de falhas religiosas se todos os homens procurassem conhecer a torrente de verdades que aqueles dois Grandes Mestres derramaram sobre a Humanidade. Pena foi, sentenciou o expositor, que seus continuadores tenham posteriormente descambado para outros rumos, engendrando clerezias corruptoras, até mesmo adulterando os textos, colocando na boca dos Grandes Mestres aquilo que eles nunca disseram e, por outro lado, tirando aquilo que eles de fato ensinaram." - Livro: Lei, Graça e Verdade

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)
2.800 a.C.

Lenda de Gilgamesh

A Epopeia de Gilgamesh é uma das lendas mais fantásticas dos povos sumérios e que mostram a riqueza de sua literatura. Possivelmente a obra literária mais antiga já produzida pelos seres humanos, ela é composta por doze cantos com cerca de 300 versos cada um. A lenda conta a história de Gilgamesh, rei sumério e fundador da cidade de Uruk que governou a região por volta do ano 2.800 a.C. Esta epopeia é conhecida graças à descoberta em 1.853, em ruínas da região mesopotâmica, onde hoje é o Iraque, por uma equipe de escavadores comandada por Hormuzd Rassam, que encontrou o palácio do rei assírio Asurbanipal, que reinou entre 668 e 627 a.C. Além das magníficas obras de arte talhadas em pedra, os escavadores encontraram fragmentos de tabletes e argila escrita em caracteres cuneiformes.
Tudo foi empacotado em caixas enviadas ao Museu Britânico, onde as armazenaram, mas não as classificaram até 1861, quando contrataram George Smith para lidar com elas. Cativado pelas antiguidades que chegavam de Nimrud e Nínive, ele havia passado anos apenas aprendendo a entender a escrita cuneiforme e a língua acadiana. Uma década depois, ele leu sobre um mundo afogado por uma enchente, um homem que construiu um barco e uma pomba solta em busca de terra. Era a história da Arca de Noé, mas não se tratava do Gênesis.
A trajetória de Gilgamesh o mostra como um grande conhecedor das coisas do mundo, inclusive de sua origem e de coisas existentes nas profundezas dos mares. Mas o rei Gilgamesh era despótico e dentre as várias obrigações que impunha a seu povo encontrava-se a construção de uma gigantesca muralha fortificada ao longo da cidade de Uruk. O povo amedrontado com o trabalho imensamente fatigante clamou pela ajuda da deusa Ishtar, que os ouviu e enviou Enkidu. Este, que era protegido da deusa e vivia nas florestas de cedros, deveria desafiar e vencer Gilgamesh em um duelo, matando-o em seguida. Ao chegar ao palácio do rei, iniciou o combate. Entretanto, não houve vitoriosos, sendo que Gilgamesh e Enkidu se tornaram amigos. A amizade os levou a diversas aventuras, destruindo monstros e harmonizando o mundo. Após seu reinado, Gilgamseh foi considerado o mais ilustre antecessor dos reis sumérios, tornando-se objeto de lendas e poemas e sendo venerado como deidade.
2.600 a.C.

Noé

Dilúvio de Água
"Noé avisou, como de Deus recebeu aviso, através dos Escalões Mensageiros, mas quantos quiseram ouvir?" - Boletim: O Fim da Ignorância...
"Paramos num platô arborizado e florido, muito igual ao chão terrícola na forma, porém diferente quanto à sublimidade, que era e é evidente, pois tudo continua, aguardando a chegada de quem for merecendo. Os reinos espirituais, saibam de uma vez por todas, datam desde o tempo em que o homem começou a habitar o chão terrícola, embora as organizações, as construções e todos os matizes de utilidades à vida coletiva, tenham sido levadas a termo, conforme as necessidades, tendo em vista as comoções em geral, a vida das Raças, dos Povos e dos indivíduos, através dos tempos e dos cataclismos que fizeram mudar a configuração dos Continentes, com as respectivas migrações de corpos e de almas. Porque os cataclismos, se obrigam a mudar as feições geográficas terrestres, também obrigam e em muito, a mudar as condições dos planos espirituais mais próximos da crosta. Uma vez migrados os corpos, os centros de vida social ou de civilização, também ou em consequência, há mudança nos planos espirituais próximos. O cataclismo atlante, por exemplo, forçou as mudanças de profundidade, porque os planos vizinhos à crosta recebem seus impactos de variada ordem. E o descobrimento, milênios depois, não poderia significar menos obrigação de mudanças necessárias. A América ressurge e trilha caminhos novos, porém caminhos que ainda registram marcas cármicas ponderáveis. E mais tarde ou mais cedo, os homens estudiosos mais intuitivos, mesmo desprovidos de intenções iniciáticas, reconhecerão esses fatores cármico-históricos." - Livro: O Céu Maravilhoso

"Não senhor, não teve nada de tantos bichos! Não senhor! Foram só as coisinhas domésticas! (...) E outra coisa filho... Outra coisa, lembrem bem, no extremo oriente nunca houve história de dilúvio, não foi universal, foi parcial. Separou da África aqui e separou da Europa lá no Atlântico Norte! Tá bem? A América é a Atlântida redescoberta! Lá no extremo oriente nunca houve Dilúvio de Água nenhum!" - Vídeo - 22m:47s

"Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem" - Mateus, 24, 37 a 39.
2.100 a.C.

Zoroastro

Encarnação do Princípio Sagrado
Zend Avesta - Bíblia dos Persas
"Uma só é a Verdade, e só com Ela triunfareis."
"Zoroastro foi o primeiro grande cultivador da Revelação, tendo estribado sua Doutrina sobre a diferença entre BEM e MAL e as vantagens do cultivo mediúnico sadio." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas
"Satanás ou Lúcifer" – Bíblia. - Nas iniciações antigas o MAL era simbolizado como alguém que se tivesse revoltado contra a Lei de Deus; porque os Dez Mandamentos datam de mais de duzentos mil anos, tendo sido várias vezes retransmitidos. Vede, no capítulo quatorze de Isaías, que é uma parábola. Quem inventou essa alegoria, a de Satanás, foi o grande iniciado Zoroastro. E os clericalismos, para seus engodos, foram tomando tudo ao pé da letra, porque isso sempre constituiu uma grandiosa fonte de dinheiro e de obediência do povo." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas
"(...) Procurai ter olhos de ver, mente de entender, sentimento elevado para poder sentir. Se de fato viveis com amor, com inteligência, quem poderá contra vós? Não existe o diabo, sem ser como viciosidade humana! Se vos libertardes no interior, quem poderá convosco no exterior? Hão de poder contra a carne; mas o agente moral, que sois vós, permanecerá incólume!."
"(...) O perseguidor não via e nem ouvia a quem quer, muito menos se dando do que se passava além de suas toscas vistas, onde seres superiorizados lhe neutralizavam a nefanda atuação, em virtude da fé que o encarnado mantinha ativa, produtiva, pensando cada vez do melhor modo, orando inteligentemente, tomando água fluidificada, assistindo sessões bem orientadas, pondo amor no trato diuturno para com a irmandade humana em geral.
E o perseguidor? Foi retirado e conduzido a lugar tremendamente expiatório, onde a ninguém poderia molestar, com a sustentação de seus infernais propósitos. Julgava-se forte? Sim e muito forte, como em geral o fazem os grandes criminosos, que tanto mais fracos são, porque crime nunca será fortaleza. Crime é vibração inferior. Treva, por densa que seja, cede ao império do menor raio de luz. Posto, pelos obreiros do bem, pelos soldados da Justiça Suprema, a penar num abismo onde todas as coisas tristes somadas seriam poucas, muita ocupação teria consigo mesma, para que pudesse vir a pensar em querer infestar o pensamento de alguém, com suas odiosidades detestáveis. E quando se teve cansado de si mesmo, pedindo o amparo superior, sinceramente, gente preposta foi-lhe ao encalço. Eis um pouco de mecanismo da vida, eis a naturalidade da vida que se processa por estas paragens, onde de favor nada se obtém, onde milagres e mistérios nunca houve."
"Pois são apenas irmãos em origens, plano e destinos, sendo que podemos saber, porque o quer Deus, que ninguém será fustigado, sem que uma causa superior o determine. O homem não está na terra e Deus no céu, localmente falando; o homem está onde Deus está, que onipresentes são entre si, Deus e o homem. A atmosfera da terra é um burburinho de vida e movimentação de seres encarnados e desencarnados. Enquanto, mais ou menos, uma metade da humanidade dorme, a outra vive acordada. A metade que dorme vagueia, cada qual procurando meios e amizades próprias, ou sendo por eles procurada. Afora isso, há que contar ainda os desencarnados, que se dividem entre elementais, os espíritos que agem na natureza, os espíritos endurecidos e chumbados ao solo, e os diferentes trabalhadores do bem, sejam os familiares ou prepostos a isso. E ninguém será abordado, sem que motivo justificável haja e determine." - Livro: Confissões de Um Padre Morto

1.950 a.C.

Manu

Encarnação do Princípio Sagrado
Código de Manu - Primeiro Grande Codificador
"Continuou a falar Krishna: Já na mais remota antiguidade dei esta doutrina da União com o Eu Divino a Vivasvat. Ele a ensinou a Manu, e este a transmitiu a Ikshvâku, o fundador da dinastia solar. De Ikshvâku passou esta doutrina a outros, e era conhecida pelos Rishis; no decorrer dos tempos, entretanto, caiu em esquecimento o sentido espiritual, conservando-se apenas a letra. Tal é a sorte da Verdade entre os homens. A ti agora, que és Meu amigo dedicadíssimo quero de novo explicar esta doutrina, que é o mais profundo segredo e a mais velha Verdade. Disse Arjuna: Como devo compreender-te, ó Senhor, quando dizes que ensinaste a Vivasvat? Ele viveu no princípio do Tempo e tu naceste há poucos decênios.* Respondeu Krishna, o Verbo Divino: Muitos foram já os meus nascimentos, e muitas também foram os teus, ó Arjuna. Eu sou consciente deles todos, mas tu não o és.
* (Compara-se o Evangelho segundo João, cap. VII, vers. 57 e 58: "Disseram-lhe os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste Abraão? Disse-lhes Jesus: Em verdade, vos digo que, antes que Abraão fosse feito, eu Sou".)
(Vivasvat é o Sol Espiritual ou a Mente Divina no princípio do Mundo; Manu se deriva da raiz sânscrita "man", pensar. Aqui se refere ao Filho do Sol e Pai da Raça atual; Rishis são os Reis Sábios ou Patriarcas)" - Livro: Bhagavad Gitã
"Manu fez uma sinopse deveras interessante, uma codificação valiosa, pois fez um extrato daquilo que havia de melhor sido revelado, até então. Seu espírito de síntese foi genial, como soem ser todos os codificadores. Atrás deles funcionam as Legiões do Senhor, o chamado Espírito da Verdade, e eles apresentam as linhas mestras, as chaves doutrinárias." - Livro: A Bíblia dos Espíritas

1.900 a.C.

Melquisedeque

Encarnação de Jesus e sua esposa (encarnação da Maria Madalena)
Rei de Salém, Sacerdote do Deus Altíssimo
Melquisedeque conhecido como "rei da justiça" e "rei da paz" é um personagem bíblico do livro de Gênesis, sacerdote do Deus Altíssimo, que interagiu com Abraão quando este retornou vitorioso da batalha de Sidim. É descrito como o rei de Salém, a quem a história atribui-lhe características sobrehumanas, divinas. Alguém de enorme valor que instruiu os povos e lhes deu a civilização. Seu nome já foi usado nas denominadas "Índias", que se referiam à atual Etiópia, Índia e Himalaia. Nessas 3 culturas havia referências ao "Rei da Terra", que seria o próprio Melquisedeque.
"É muito importante conhecer o que fizeram estes missionários: Enoch, Melquisedec, Rama, Viasa Veda, Hermes, Orfeu, Zoroastro, Crisna, Moisés, Pitágoras, Jesus... Eles não puderam ensinar tudo quanto sabiam..." - Boletim: E Deus Faltaria com o Devido Aviso?
"João Batista foi reencarnação de Moisés ou Elias, e Jesus foi reencarnação de Melquisedeque, e ambos vieram juntos, e para dar testemunho do Princípio ou Deus; Sua Impoluta Justiça; Seus Divinos Dons distribuídos a Seus filhos; Seus Inderrogáveis 10 Mandamentos; e Seus Anjos, os Espíritos Mensageiros, entregadores de Ensinos e Graças do Deus." - Boletim: Qual a Diferença entre o Jesus da Verdade...

"Porque este Melquisedeque, que era rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, e que saiu ao encontro de Abraão quando ele regressava da matança dos reis, e o abençoou, a quem também Abraão deu o dízimo de tudo, e primeiramente é, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; Sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre. Considerai pois quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dízimos dos despojos" - Hebreus, 7, 1 a 4.
1.810 a.C.

Hamurabi

Código de Hamurabi - Rei Babilônico
O Código de Hamurabi, representa o conjunto de leis escritas, sendo um dos exemplos mais bem preservados desse tipo de texto oriundo da Mesopotâmia. Acredita-se que foi escrito em 1.772 a.C. Foi encontrado por uma expedição francesa em 1.901 na região da antiga Mesopotâmia, correspondente à cidade de Susa, no sudoeste do Irã. Os artigos do Código de Hamurábi descreviam casos que serviam como modelos a serem aplicados em questões semelhantes.
1.500 a.C.

O Grande Buda

Encarnação do Princípio Sagrado
Evangelho de Buda
O Grande Buda, resumindo os trinta e quatro menores ou anteriores, testifica que o saber bem, pensar bem, sentir bem e agir bem, faz atingir o Nirvana pela via mais curta e indispensável." - Livro: Orações e Poesias Divinas
Senda Óctupla - Oito Mandamentos
1 - Visão Correta; 2 - Intenção Correta; 3 - Fala Correta; 4 - Ação Correta; 5 - Viver Corretamente; 6 - Esforço Correto; 7 - Atenção Correta; 8 - Concentração Correta.
"No Budismo a Lei de DEUS data de mais de onze mil anos antes de Moisés e o seu espírito é o mesmo, que agora o transmitimos, sintetizado: (Citação aos Dez Mandamentos da Lei de Deus)." - Boletim: Carta ao Discípulo X
"Avançou pelo Budismo, fazendo referências a dezenas de Budas, que se sucederam no curso dos milênios, restaurando a Doutrina e avançando conforme as possibilidades do tempo. Tiveram sempre a Unidade Divina por base; a Lei por juiz; a Justiça por execução; o Amor e a Ciência como instrumento de libertação total; e a Revelação como órgão instrutivo. Tudo, porém, em caráter de ocultismo, para que as criaturas menos conscientes não fizessem mau uso do que merecia todo o respeito imaginável." - Livro: Lei, Graça e Verdade
"A Índia nos mostrou os seus Grandes Budas; foi uma verdadeira coluna a se estender pela noite dos milênios, coluna que arrastava após de si, gerações sem conta, ondas fantásticas de seres. Havia gente na Terra e nos ares, tudo numa promiscuidade formidável, cultivando o grande ideal unificador. Surgiram as corrupções, as explorações, os cleros interesseiros e manhas dominadoras. Com isso, novos emissários voltaram ao plantel carnal, recuperaram as gentes para o ideal sagrado. A seguir, novas quedas, novas corrupções no curso dos séculos, para que de novo outras restaurações fossem necessárias. A Índia encantou a Terra com seus grandes místicos, com suas encantadoras teorias, lavrando nos seus monumentos telúricos a semeadura das vibrantes influências mentais magnéticas. Suas terras, seus rios e suas montanhas valem por vertentes de emanações sublimes. E dos planos erráticos volvem, perenemente, legiões de seres saudosos, que ao contato daquelas vinculações rememoram tempos idos e revivem personagens que a grandeza do ideal não deixa que se fanem.
O Tibé nos revelou a sua fila intérmina de grandes experimentadores; vimos as práticas mais excêntricas, os cultos mais esquisitos, tudo com o fito de trançar contato com o plano astral. Ouvimos as vozes, nem sempre fiéis à Verdade, daqueles que se revelavam, dizendo-se aquilo que de fato nem sempre eram... Verdades menores e maiores jorraram daqueles cultos, daqueles forçamentos, daquelas incursões nos domínios astrais. Ensinos errados também vieram, porque as sombras nunca deixaram de comparecer, mais ou menos disfarçadas ao banquete dos cultos espirituais. Os cleros, as superstições; tudo isso que é marcado pelo cunho de acendrado mercantilismo, com visão às hierarquias temporais e à exploração da fé, ou do homem pelo homem em nome de Brama, em qualquer parte do mundo ou sob qualquer designação ou pretexto, tudo isso tem vindo das regiões menos felizes, tudo isso tem partido das esferas onde vivem elementos fingidos. Insanos e despóticos, que sempre souberam se fantasiar com as aparências de respeito às melhores verdades. E como a humanidade encarnada apresenta o seu grande coeficiente de elementos inferiores em moral, cheios de si e capazes de todas as malícias, dominados pela sanha dos mandonismos desbragados e rendosos, eis que o plano inferior sempre alcança estabelecer no mundo seus entrepostos. Apesar do verdadeiro sentido de culto apresentado pelos Grandes Missionários, sempre aparecem as corrupções, os desvios, as infelizes explorações." - Livro: O Mensageiro de Kassapa

1.420 a.C.

Crisna

Encarnação do Princípio Sagrado
Bhagavad Gita - Sublime Cântico da Imortalidade
Crisna é cultuado em toda a Índia como a Suprema Personalidade de Deus ou Deus encarnado. De acordo com o Bhagavata Purana, Crisna foi concebido por meio da "inseminação mediúnica" no ventre de sua mãe, "Aquela será a mãe de todos nós, porquanto dela nascerá o espírito que nos deve regenerar" – Profecia sobre Devaki, mãe de Crisna, que o receberia em seu ventre.
O Bhagavad Gita é a essência do conhecimento védico, é parte da antiga epopeia hindu, intitulada Mahabharata. Relata a luta que o princípe Arjuna (representa o homem em evolução) trava em seu íntimo entre o Bem e o Mal, entre as forças superiores e inferiores. Crisna lhe explica a verdadeira natureza humana e sua relação com Deus, é o Verbo de Deus, o Logos ou o Cristo em nós, em nosso íntimo. Os conselhos de Crisna auxiliam Arjuna no momento que os dois estão entre os dois exércitos prestes a iniciarem uma batalha. Crisna instrui o jovem guerreiro, procurando acabar com sua inquietude e perplexidade em que se encontra na iminência de uma luta contra seus próprios parentes, a batalha ocorre em seu íntimo e os generais, seus parentes, são: Bolso, Estômago, Sexo, Orgulho, Egoísmo e Vaidade.
"Todas as vidas ou existências, todo trabalho e todo sofrimento, é para que possais voltar a Mim, o Senhor Único, a Origem e a Finalidade."
"Eu Sou o Pai do Universo e igualmente a mãe; Eu Sou a Origem e o Conservador de tudo. Eu Sou o objeto do verdadeiro conhecimento; Eu Sou a palavra mística AUM; Eu Sou o Rig, Salma e Yajus-Veda. Eu Sou o Caminho, o Criador e o Sustentador, o Juiz e a Testemunha, o Abrigo e a Morada, o Amigo, o Princípio e o Fim, a Criação e a Destruição, o Espaço e o Conteúdo, o Semeador e a Semente Eterna que dá Frutos perpetuamente. Eu produzo o calor e a luz do Sol; Eu mando e retenho a chuva; Eu Sou a Morte a Imortalidade; e, não obstante, Sou Um e sempre o mesmo."
"Escuta este mistério. Eu Sou superior a nascimento; Sou inato e eterno, Sou o Senhor de todas as criaturas, pois tudo emana de Mim; mas também nasço, gerado por Meu próprio Poder. Sempre que o mundo declina em virtude e justiça; sempre que imperam o vício e a injustiça, venho Eu, o Senhor, e apareço no Meu mundo em forma visível, nascendo e vivendo como homem entre homens. A Minha influência e Doutrina destroem o mal e a injustiça, e restabelecem a virtude e a justiça. Muitas vezes, já apareci assim, e muitas vezes aparecerei ainda."
"Aprende também brevemente de Meus lábios, ó filho de Kunti, como quem conquistou esta meta, chega à unificação com Deus, que é a etapa suprema da realização."
"Finalmente, banindo de si o egoísmo, a resistência, o orgulho, o desejo, o rancor e o senso de posse, alcançará ele aquela paz que o capacitará a unificar-se com Deus. Unificando-se com Deus, ele é sereno; nada mais o entristece, nem ele deseja; ama por igual todos os seres, e Me ama intensamente. Com este amor intenso, ele sabe claramente, com esse mesmo amor, ele penetra então em Mim. Realize ele todas as ações refugiado em Mim, e não apenas o seu dever próprio, e por Minha Graça alcançará a perfeição, eterna e imutável. Dedica tu, em pensamento, todas as tuas ações em Mim, e perseverando nesta atitude, estarás sempre com tua mente fixa em Mim. Com tua mente fixa em Mim, com Minha Graça vencerás todos os obstáculos." - Livro: Bhavagad Gita
"Escutai pois, diz Crisna, um enorme e profundíssimo segredo, o mistério soberano, sublime e puro. Para se chegar à perfeição é mister conquistar a Ciência da Unidade, que está acima da Sabedoria; é mister elevarmo-nos até ao Ser Divino, que está acima da alma, mais alto mesmo que a inteligência. Ora, o Ser Divino, o Amigo Sublime, existe em nós próprios, está dentro de cada um de nós. Porque Deus reside no interior de cada homem, mas poucos sabem encontrá-Lo." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Crisna deixou ensinos eternos, perfeitos e imutáveis, por palavras e demonstrações pessoais, em virtude das faculdades ou poderes de que dispunha, como Verbo Divino ou representante de Deus, do PRINCÍPIO ÚNICO. O livro BAGAVAD GITA, ou SUBLIME CÂNTICO DA IMORTALIDADE, ou o LIVRO DAS SETE INTERPRETAÇÕES, deveria ser lido por quantos pretendem, de direito e de fato, falar com autoridade, quando falam de Deus, do Espírito e da Matéria, da Imortalidade, Responsabilidade, Evolução Gradativa e Sagrada Finalidade do Espírito. Einstein e Chardin, e muitos outros verdadeiros sábios, têm feito dessa Bíblia da Índia, o livro de cabeceira, o roteiro de buscas científicas." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)
Bhagavad Gita - A Mensagem do Mestre (Livro de Francisco Valdomiro Lorenz)
1.370 a.C.

Nefertiti e Akhenaton

Nefertiti encarnação da Mãe Maria
Monoteísmo
Nefertiti foi rainha da XVIII dinastia do antigo Egito, esposa do faraó Amenhotep IV, mais conhecido como Akhenaton. Tornaram-se conhecidos pela revolução religiosa, na qual se passou a adorar apenas um deus, Áton, ou o disco solar. Ao implantar um novo conceito doutrinário alteraram as formas de religião dentro Egito, abandonando o politeísmo para implantação do monoteísmo. O busto de Nefertiti está exposto no Museu Neues, em Berlim.

1.300 a.C.

Orfeu

Encarnação do Princípio Sagrado
Sabedoria Órfica
"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses."
Orfeu é o fundador dos chamados Mistérios Órficos e da composição dos Hinos Órficos, assim como lhe é atribuído o Dom da medicina. Os gregos da era clássica veneravam Orfeu como o maior de todos os poetas e músicos; dizia-se que, enquanto Hermes inventou a lira, Orfeu a aperfeiçoou. Poetas como Simônides de Ceos disseram que a música e o canto de Orfeu podiam encantar os pássaros, peixes e feras, persuadir as árvores e as rochas a dançar e desviar o curso dos rios.
Nos séculos V e IV a.C., existia uma coleção de poemas hexamétricos conhecida como Órfica, que eram a autoridade aceita por aqueles que seguiam o modo de vida órfico, e foram por eles atribuídos ao próprio Orfeu. Platão várias vezes cita versos dessa coleção; ele se refere na "A República" a uma "massa de livros de Museu e Orfeu", e nas Leis aos hinos de Tâmiris e Orfeu, enquanto no Íon ele agrupa Orfeu com Museu e Homero como a fonte de inspiração de poetas épicos e elocucionistas.
"Chamava-se agora Orfeu, que significa – Aquele que cura pela luz – G. I. - Sempre as mesmas bases iniciáticas, sempre os Emissários do Senhor, sempre o encaminhamento aos Sagrados Páramos da Essência Divina. Orfeu foi, na Grécia, o assessor do Cristo."
"O canto místico da sacerdotisa de Delfos aludia a um dos numerosos segredos guardados pelos sacerdotes de Apolo, e que eram ignorados pela multidão. Orfeu foi o gênio vivificador da Grécia sagrada, o despertador da alma divina, cuja lira de sete cordas, cada uma das quais correspondia a uma feição da alma humana e continha a lei de uma ciência e de uma arte, abraçava o universo." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Fomos ver, também, o Egito. Não o moderno, mas sim o antigo, aquele Egito ungido pela influência dos seus Hierofantes, dos seus grandes místicos, filhos doutrinários da ciência que lhes veio dos extremos orientais, do budismo que também se chama ou chamou vedismo, pois nisso tudo apenas houve ingerência de fatores semânticos. No fundo uma só é a raiz, embora os ramos da Sabedoria Antiga rompam em diferentes matizes direcionais. É assim que vamos encontrar as mesmas chaves em Hermes, em Rama, em Zoroastro, em Apolônio de Tiana, em Orfeu; nos Grandes Filósofos da China, da Grécia, etc.; nos Patriarcas Hebreus e nos incontáveis sábios da Caldeia e da Assíria. Por toda parte se infiltrou a Verdade, conduzida pelos vultos para tanto vindos ao mundo. Seria intérmino um serviço de relacionamento, mormente em vista dos grandes cataclismos que se fizeram presentes, muitas vezes mudando a feição geográfica dos continentes." - Livro: O Mensageiro de Kassapa

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)

1.270 a.C.

Thermutis e Itamar (rabino judeu)

Encarnação da Mãe Maria e Bezerra de Menezes
Pais de Moisés
"Só que tem uma coisa, quando Eu fui Moisés, Eu tive pai e mãe, não fui filho da cestinha, né? Dá pra entender? Não, não jogaram no rio, puseram numa cestinha, se jogasse no rio Eu morria afogado! Eu fui filho da Nefertiti (da Thermutis)! A casa faraônica iria deixar uma princesa egípcia casar com um judeu escravo?... Ele era rabino... Mas esse judeu que foi o meu pai, o amor da princesa, ele veio a ser mais tarde um grande Profeta hebreu! (...) E reencarnou no Brasil, Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcante!" - Vídeo - 21m:13s

1.250 a.C.

Moisés

Encarnação do Princípio Sagrado e sua esposa Zípora ou Séfora (encarnação da Maria Madalena)
"Por esse tempo nasceu Moisés, que era formoso aos olhos de Deus. Por três meses foi ele mantido na casa de seu pai; quando foi exposto, a filha do Faraó o recolheu e criou como seu próprio filho. E Moisés foi educado em toda a ciência dos egípcios, e era poderoso em palavras e obras. Quando completou quarenta anos veio-lhe a ideia de visitar seus irmãos, os filhos de Israel." - Atos, 7, 20 a 23
"Moisés foi o Profeta-Concatenador, ou Codificador do tempo, a fim de preparar ao Senhor Planetário o ambiente propício. A concatenação ou codificação de Moisés foi de sentido Védico-Hermético. O Védico-Hermetismo ensinava assim que o Um, ou Deus, também em leis regentes como ÚNICA LEI começava, desdobrando-se a seguir em infinitas leis ou leis menores." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"De Moisés, falou o expositor, nenhuma palavra direta existe; os Livros foram queimados, assim como perseguidos e mortos os Profetas, ao tempo de Saul. E a restauração, ordenada por Esdra, foi feita sobre lendas e contos do povo, havendo homens que de memória relataram algumas verdades. Quanto ao mais, símbolos e parábolas foram tomados ao pé da letra, caindo os grandes ensinos em tremendas falhas e contradições repelentes.
Salientou, entretanto, quatro feitos grandiosos na vida de Moisés, sem contar os muitos outros de menor significação:
O de "Trasladar o Povo de Israel para o local devido, da maneira que melhor pôde, contando com os recursos mediúnicos de que dispunha, assim como Deus lhe permitiu".
O de "Uma vez mais transmitir a Lei que fora diversas vezes transmitida, no curso dos tempos aos povos".
O de "Profetizar sobre a vinda de Cristo, fazendo ciente o Povo de que não estavam completas as Escrituras".
O de "Lavrar o primeiro batismo coletivo de Espírito Santo, ensejando a setenta homens escolhidos entrarem para o cultivo da Revelação, a fim de o auxiliarem a guiar o Povo".
Pouco mais falou fazendo referência aos feitos de Moisés. Se os homens menos conscientes fizeram de seus livros fogueira e do seu primeiro batismo de Espírito Santo obra de corrupção, nenhuma culpa lhe coube. Também com o Cristo, mais tarde, fariam a mesma coisa: o Novo Testamento era queimado pela Inquisição e com ele seu dono; o Seu batismo de Espírito Santo, para toda a carne, também foi perseguido e banido por Roma, no quarto século, quando ali fundaram o catolicismo Romano." - Livro: Lei, Graça e Verdade

Os Dez Mandamentos da Lei de Deus
"Na cadeia do Sinai, precisamente no Monte Horebe, havia furnas cavadas, para o retiro de iniciados; foi ali que Moisés teve colóquios com anjos, espíritos ou almas, recebendo a Lei e muitas outras informações." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas
"Os três sentidos da Lei de Deus – Moral, Amor e Revelação. A Moral harmoniza e dignifica, o Amor sublima e diviniza e a Revelação adverte, ilustra e consola. A Lei de Deus é Cósmica, é Universal, é Eterna e Imutável. Nunca deixarão de existir os três sentidos da Lei, enquanto houver a chamada Criação. A Lei é a Trilha dos Cristos e a Matriz dos Livros Sagrados." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"É interessante assinalar, uma vez mais, que a Lei não é uma sequência de ordenanças, teórico-doutrinárias, mas sim o Poder Equilibrador, vigente no íntimo de tudo e de todos. O Decálogo escrito, qualquer um pode rasgar, negar, pisar sobre Ele; mas quem pisaria, negaria ou rasgaria o Poder Equilibrador do Universo? Já foi dito por outro narrador que o Decálogo tem por função fazer saber que há um Poder Superior, na intimidade profunda de todas as coisas; assim, portanto, quando dizemos que a Lei atua, não nos referimos aos Dez Mandamentos, mas sim ao Poder Vigente a quem Eles fazem referência.
(...) A LEI DE DEUS, ou CÓDIGO DIVINO, é o reflexo intelectual da LEI DE EQUILÍBRIO CÓSMICO. Ela tem três sentidos e por eles dá testemunho da MORAL, do AMOR e da REVELAÇÃO. Para executar o primeiro mandamento, ou amar a Deus em Espírito e Verdade, cumpre que o Espírito se tenha elevado à condição de Espírito e Verdade; isto é, cumpre que tenha feito toda a escalada biológica. Os demais nove mandamentos são o caminho, a trilha a seguir, pois quem não ama ao próximo não pode dizer que ama a Deus. Ninguém olvide, portanto, que para viver conforme a Lei de Deus, importa que se tenha feito toda a escalada evolutiva ou biológica. E quanto ao terceiro sentido, é aquele que afirma ser a REVELAÇÃO o instrumento de advertência, ilustração e consolo, pois ela sempre foi transmitida através dos anjos, almas ou espíritos. Como lembrete, fica dito que a Lei de Deus é conhecida desde os mais remotos Budas, tendo nos dias de Moisés havido mais um fenômeno de retransmissão;" - Livro: O Mensageiro de Kassapa

Primeiro Batismo de Dons Mediúnicos
"Quem dera que o Senhor desse o Seu Espírito Santo e que toda a carne profetizasse" – Números, 11, 29.
"Moisés procurou transmitir a Revelação para todo o povo, e houve por seu intermédio o primeiro batismo coletivo de Espírito Santo, na pessoa daqueles setenta escolhidos." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Quando Jesus, o que deixaria a Divina Modelagem e batizaria em Espírito Santo ou Revelação, veio ao mundo carnal, já orçava por mais de duzentos e quarenta mil anos que a comunicabilidade dos espíritos era cultivada, porém em termos secretos ou esotéricos, como testemunham os mais antigos documentos. Por isso Moisés, versado nas duas cabalas, ou no Zoroastrismo, que por sua vez descendia diretamente do Búdico-Vedismo, assim se expressou: "Quem dera que o Senhor desse do Seu Espírito Santo a todo o povo, e que todo o povo fosse profeta" - Livro: O Céu Maravilhoso

Igreja dos Setenta - Corrupção Doutrinária
"Moisés já havia desejado para toda a carne ou povo o batismo de Revelação, tendo levado a termo o primeiro batismo de Revelação, que o clericalismo levita perseguiu e esfolou como melhor pôde." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas
"Que o clero levita tudo corrompeu, perseguiu, ou foi pelos séculos afora matando Profetas e perseguindo a Revelação..." - Livreto: Manual Divinista
"O padrequismo judeu, o rabinato, até Jesus, por no mínimo 1.350 anos, assassinaram os Grandes Dotados de Dons de Deus, os Profetas, Videntes e outros Dons, dizendo-os feiticeiros, não é verdade?!" - Boletim: Os Assassinatos Religiosos Foram os Mais Abomináveis!

Início do Candomblé - "Através do africano Moisés, Deus entregou a Lei de Deus, o Código de Moral Inderrogável, e o Primeiro Batismo de Dons Mediúnicos, como devem ler no Livro de Números, capítulo 11. Deus fez Moisés entregar a Igreja dos Setenta Médiuns, para jamais faltar a Consoladora Revelação, ou dos intercâmbios entre encarnados e desencarnados.
Como os rabinos ou padres, ou vendedores de engodos ou formalismos enganadores, atraiçoaram Deus e Moisés, através dos africanos Profetas ou Médiuns, Deus prometeu a vinda de outro africano, Jesus, que seria Ungido Verbo Modelo de Comportamento, e o entregador do SEGUNDO BATISMO DE DONS MEDIÚNICOS.
De fato, vindo o africano Jesus, PASSOU A VIDA PÚBLICA PRATICANDO O MAIS BRANCO DOS MEDIUNISMOS, e, como muito bem ensina o Livro dos Atos dos Apóstolos, capítulos 1, 2, 3, 4, 7, 10 e 19, ENTREGOU O SEGUNDO BATISMO DE DONS MEDIÚNICOS, para jamais faltarem contatos entre encarnados e desencarnados." - Boletim: O Candomblé, Mediunismo - Igual a Magia Branca ou Negra

Pessach - do hebraico, significa passagem, festa da libertação dos hebreus da escravidão para a liberdade, comemorada desde o ano 1.280 a.C. A Páscoa era dividida em duas festas. Uma era agrícola Festa do pão sem fermento, a outra era pastoral, Festa do Cordeiro Pascoal.
Torá - instrução, lei ou apontamento, chamada como Pentateuco, um rolo de pergaminho no qual foram escritos em hieróglifos (referem-se aos caracteres usados na escrita egipcia), os cinco primeiros Livros da Bíblia, ditados por Moisés: Bereshit (Gênesis); Shemot (Êxodo); Vayikrá (Levítico); Bamidbar (Números); Devarim (Deuteronômio).

Quando Eu Fui Moisés... - Áudio
A Lei de Deus... - Áudio

Não deixou corpo físico: "Então subiu Moisés das campinas de Moabe ao monte Nebo, ao cume de Pisga, que está defronte de Jericó; (...) Assim morreu ali Moisés, servo do Senhor, na terra de Moabe, segundo a palavra do Senhor. Este o sepultou num vale, na terra de Moabe, defronte de Bete-Peor; e ninguém sabe, até hoje, o lugar da sua sepultura" - Deuteronômio, 34, 1 a 6.

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)
1.050 a.C.

Samuel

Encarnação de João Evangelista
Comunidade dos Nazireus
Escola de Profetas de Israel, posteriormente chamada de Comunidade dos Essênios
"Moisés procurou transmitir a Revelação para todo o povo, e houve por seu intermédio o primeiro batismo coletivo de Espírito Santo, na pessoa daqueles setenta escolhidos. E por ter havido nova queda, após a morte de Moisés, foi Samuel, o grande vidente e auditivo, como a Bíblia o afirma, encarregado pelo Senhor de fazer a restauração da Ordem dos Nazireus." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Samuel, que mais tarde fora Daniel e João Evangelista, e mais tarde Antonio de Pádua e Giordano Bruno, foi quem reorganizou a Ordem Essênia ou dos Nazireus, pois com a morte de Moisés tudo se havia corrompido." – Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas

1.000 a.C.

Pitonisa de Endor

Encarnação da Mãe Maria
A maior mulher Vidente do Mundo
Pitonisa, Profeta, Vidente ou Médium, moradora do vilarejo de Endor no Vale de Jizreel (entre a colina de Moré e o Monte Tabor), consultada pelo rei Saul quando este deseja comunicar-se com o espírito de Samuel antes de combater contra os filisteus.
"Veja só querida mãe... Porque Eu chamo ela de mãe, porque foi minha mãe quando Eu fui Moisés, depois foi a célebre Pitonisa de Endor, a mais famosa Vidente mulher do Mundo, da história do Mundo foi a Mãe Maria quando foi a Pitonisa de Endor!" - Áudio
850 a.C.

Elias

Encarnação do Princípio Sagrado
Representa os Profetas - O maior Profeta da História da Humanidade
O Livro dos Reis narra que Elias defendeu o culto de Javé contra a veneração do deus canaanita Baal (que era considerado um culto idólatra); Deus através dele ressuscitou os mortos, fez chover fogo dos céus, e foi levado por um redemoinho (acompanhado por uma carruagem e cavalos em chamas, ou cavalgando-os. O retorno de Elias foi profetizado, pelo Profeta, Vidente ou Médium Malaquias, em seu capítulo 4: "Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais, para suceder que eu não venha, e fira a Terra com maldição".

Não deixou corpo físico: "E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando das suas vestes, as rasgou em duas partes" - II Reis 2, 11 e 12.

800 a.C.

Profeta Joel

Profecia da Eclosão Mediúnica - Joel, 2, 28
"Derramarei o Meu Espírito Santo sobre toda a carne, e vossos filhos e filhas profetizarão, vossos velhos terão sonhos e vossos jovens terão visões."
"Aquilo que está no capítulo dois, do Profeta Joel, também está mais umas dezoito vezes em outros textos do Velho Testamento. O Consolador ou Espírito Santo, ou de Profecia, seria generalizado através do Cristo Planetário, quando viesse. E foi o que Jesus fez, para tirar a orfandade do meio das gentes, uma vez que a Revelação consoladora só era praticada dentro dos Cenáculos Iniciáticos." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas

780 a.C.

Eliseu

Encarnação de João Evangelista
Expoente da Doutrina do Caminho
Eliseu foi discípulo de Elias e após a saida deste da carne, quando entregou-lhe sua capa, deu continuidade a Doutrina do Caminho, tendo feito muitos prodígios relatados no Segundo Livro de Reis.

"Sucedeu, pois, que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim. E disse: Coisa dura pediste; se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não, não se fará" - II Reis 2, 9 e 10.

765 a.C.

Profeta Isaías

Profecia da Divina Civilização - Isaías, capítulo 11
"Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor." - [O tronco é Moisés e não Jessé como posteriormente foi adulterado na Bíblia, sendo o broto novo Jesus]
"Isaías foi um grande vidente e auditivo; viu e ouviu, por essas mediunidades, coisas sobre a sua época e a sua gente, tendo ouvido e visto, também para a posteridade. Não é com idolatrias e fanatismos religiosistas que se consegue tamanha capacidade em dons espirituais ou mediunidades; é com o máximo de respeito à Lei de Deus." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"Gorou uma vez a Divina Promessa feita por Deus em Isaías, capítulo 11, mas não gorará a segunda vez, como bem assinalam Jesus e o Apocalipse.
A primeira vez gorou, porque depois de Deus entregar a Doutrina da Verdade, através de Moisés, O TRONCO, e de Jesus, O BROTO NOVO, em 313 Roma forjou a Besta Corruptora, prevista no capítulo 13, do Apocalipse, destruindo o Propósito Divino, desgraçando a Humanidade."
"Tendo chegado o findar do segundo milênio, aguardem os profundos abalos da Natureza e os terríveis efeitos do dilúvio de fogo. Procurem entender que há UM PROGRAMA DIVINO PARA O ESPÍRITO E A MATÉRIA, MUNDOS E HUMANIDADES, e que nenhum bestialismo humano, de encarnados ou desencarnados, poderia ficar para sempre tramando contra Ele seus escabrosos mentirosismos.
Aquela GLORIOSA CIVILIZAÇÃO FRATERNISTA E UNIVERSAL virá, porque em Deus nunca haverá cancelamento de SANTOS DESÍGNIOS. Estudem bem o que está registrado em Isaías, capítulo 11, porque depois das punições previstas por Jesus e o Apocalipse, os não cabritos herdarão o período apocalíptico chamado UM NOVO CÉU E UMA NOVA TERRA. Passarão as sujidades clericais e outras, mas jamais passarão aquelas DIVINAS REALIDADES QUE A BÍBLIA ENSINA." - Boletim: Tudo Quanto For Contra os Dez Mandamentos...

753 a.C.

Numa Pompílio

Encarnação de Jesus
Reformador Político e Religioso de Roma
Numa Pompílio foi um sabino escolhido como segundo rei de Roma. Sábio e grande iniciado, dedicou-se a elaboração das primeiras leis de Roma, assim como dos primeiros ofícios religiosos da cidade. A estas reformas corresponde também um período de prosperidade e de paz que permitiu Roma crescer e se reforçar. A ele também é creditada uma reforma no calendário, baseado nos ciclos lunares, que passou de dez a doze meses (355 dias), com o acréscimo de janeiro, dedicado a Jano, e fevereiro, que foram colocados no fim do ano, depois de dezembro (o ano iniciava em março).
"Numa Pompílio mereceu-lhe palavras de acentuado respeito. Fora um dos primeiros imperadores romanos, iniciado nas ciências esotéricas, homem sábio e prudente, cujos exemplos logo mais foram sufocados pelos imperadores seguintes, que a tudo corromperam, nunca mais dando Roma fruto algum digno da Verdade, pois o imperalismo sanguinário e a corrupção da Igreja Viva de Jesus Cristo foram seus últimos relatos danosos, que ainda perduram, não permitindo à Humanidade o conhecimento da Verdade." - Livro: Lei, Graça e Verdade

606 a.C.

Profeta Daniel

Encarnação de João Evangelista
A sua vida e profecias estão incluídas na Bíblia no Livro de Daniel. Segundo a narrativa, Daniel foi um jovem príncipe judeu levado como prisioneiro de guerra pelas tropas do Império Babilônico, em meio à Rebelião para Independência de Judá. Ao fim do conflito, de acordo com a tradição rabínica, Daniel e outros príncipes judeus foram castrados por ordens do rei babilônico, com o objetivo de desencorajar lideranças e frustrar o sentimento de independência em meio ao povo dominado. Através da mediunidade interpretou sonhos e visões do rei Nabucodonosor II e seus sucessores com lealdade e competência, tornando-se uma figura proeminente na corte da Babilônia.
"E não demos ouvidos aos teus servos, os profetas, que em teu nome falaram aos nossos reis, aos nossos príncipes, e a nossos pais, como também a todo povo da terra" - ["A Palavra de Deus é a Revelação" - Anotação do Sr. Osvaldo Polidoro em Sua Bíblia, no capítulo 9, de Daniel, com esse texto acima sublinhado].
604 a.C.

Lao-Tsé

Encarnação do Princípio Sagrado
Filosófo, astrólogo e escritor - Tao Te Ching
Filósofo, escritor e astrólogo, nascido no norte da China. É personagem-chave na cultura chinesa, conhecido por ser autor do livro Tao Te Ching, que deu origem ao taoismo. O Tao Te Ching é um dos tratados mais importantes da cosmogonia chinesa, chamado Livro da razão suprema, a bíblia taoísta. Sua doutrina expõe a existência de Um Princípio Supremo, o Tao, que rege o universo. Todas as coisas têm origem no Tao, obedecem ao Tao e finalmente retornam ao Tao, ao Absoluto. Depois de ter escrito seu livro, Lao Tsé partiu e ninguém mais sabe o que foi feito dele.
590 a.C.

Profeta Ezequiel

Encarnação do Princípio Sagrado
Responsabilidade Individual - Capítulo 18 de Ezequiel
"Que tendes vós, vós que dizeis está parábola da terra de Israel, dizendo: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram?"
"Tudo estava desviado da Lei, tudo pecaminoso, e Deus enviou o Profeta Ezequiel, que em um só capítulo transmitido, o 18, bastaria para consertar tudo, para todos os tempos. Mas, quem ouviu ou está ouvindo? E que dizer das imundícias do findar do segundo milênio?" - Boletim: Dos Erros dos Padres às Abominações do Século Vinte
"E porei em vós o meu Espírito (Santo), e vivereis e vos meterei na vossa terra, e sabereis que eu, o Senhor, falei isto, e o fiz, diz o Senhor" - ["O Povo de Israel não só não recebeu o batismo de espírito (santo), como até mesmo crucificou o batizador, que foi Jesus" - Anotação do Sr. Osvaldo Polidoro em Sua Bíblia, no capítulo 37, de Ezequiel, com esse texto acima sublinhado].
570 a.C.

Pitágoras de Samos

Encarnação do Princípio Sagrado
Filósofo, matemático e terceiro Grande Concatenador
Nasceu na ilha de Samos e viajou para o Egito e Grécia, em 520 a.C. voltou à Samos. Cerca de 530 a.C., mudou-se para Crotona, na Magna Grécia.
"Do Um tudo parte, no Um tudo movimenta e no Um tudo atinge a finalidade."
"Tu verás que os males que devoram os homens, são o fruto da sua escolha; e que os infelizes procuram longe deles, o bem cuja fonte têm em si mesmos".

"Pitágoras, fazendo experiências com sua esposa, a médium Teocleia, vidente, psicômetra e desdobrante, fez os maiores estudos sobre a evolução do espírito, afirmando que ele gasta, em média, trezentos milhôes de anos, atravessando as espécies inferiores, antes de atingir a espécie humana." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas
"Foi no Egito, portanto, que Pitágoras adquiriu essa vista de alto que permite aperceber as esferas da vida e as ciências numa ordem concêntrica; compreender a involução do espírito na matéria pela criação universal; e a sua evolução, ou ascensão para a Unidade, por essa criação individual que se chama o desenvolvimento de uma consciência."
"Conforme as almas que reveste, conforme os mundos que envolve, esse fluido transforma-se, afina-se ou condensa-se" – G. I. (...) Pitágoras foi grande na observação de tais leis e fatos, naqueles dias recuados, longe da desintegração atômica, que prova as marchas de ida e volta da matéria, desses fenômenos de integração e desintegração que são comuns e contínuos na Ordem Cósmica."
"Quem quer que saiba ler e procure confrontar, encontrará, no Evangelho de João Evangelista e no Apocalipse, fortíssimos traços pitagóricos. É que Pitágoras fora o terceiro Grande Concatenador da História das Revelações. E como as Escolas Iniciáticas tinham uma mesma Chave da Verdade, porque sabiam perfeitamente que a parte de Deus é Eterna, Perfeita e Imutável, também o Essenismo assim professava, daí derivando as parecenças doutrinárias ou fundamentais." - Livro: A Bíblia dos Espíritas

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)
563 a.C.

Sidarta Gautama

Encarnação de Gandhi
Um dos 35 Budas da antiguidade
Sidarta Gautama, também conhecido como Sakyamuni (sábio do clã dos Shakyas), foi um príncipe de uma região no sul do Nepal que, tendo renunciado ao trono, se dedicou à busca da erradicação das causas do sofrimento humano e de todos os seres, e desta forma encontrou um caminho até ao "despertar" ou "iluminação".
"Lembro esta necessidade em virtude de minha formação espiritual búdica; quero acentuar a minha repulsa a um dos axiomas da filosofia búdica, pois o seu radical abstracionismo, propulsor do mais acendrado abstencionismo, constitui erro clamoroso. Ninguém surtiu de Deus, da Divina Essência, como individualidade e comportando valores divinos em potencial, com a sagrada obrigação de fazê-los ter manifestação patente, e, ao mesmo tempo, numa flagrante manifestação de contradição, com o direito de sepultá-los, de renegá-los. Este conceito da filosofia budista é terrivelmente clamoroso, é aberrante, pois a Lei determina que haja, da parte do indivíduo, todo o esforço a bem do máximo desabrochamento." - Livro: O Mensageiro de Kassapa
"O Budismo, que não surgiu com o Sidarta Buda, mas tem origem nos anteriores trinta e quatro Budas, cuja linhagem se perde nos milênios. No Sidarta Buda sintetizaram a Doutrina Búdica, e O SANTO EVANGELHO DE BUDA é o livro que pode e deve ser lido, por parte de quem queira conhecer o Budismo." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas
"Realmente, - acrescentou o discípulo, - há um ensino búdico a esse respeito. Diz ele que o Amor e a Ciência são fatores básicos do Universo, e que o espírito, enquanto não os realizar em si, ficará sujeito à lei das reencarnações dolorosas. Isso prova, portanto, que é melhor procurar realizar em nós mesmos o Amor e a Ciência, do que viver cantando loas à dor, seja por covardia moral, seja por atribuir a Deus erros e falhas que Ele não poderia jamais ter. O menino vagabundo, que recebe castigo pelo fato de não executar suas obrigações, não tem o direito de confundir a punição recebida com a execução da obra que ainda está por ser feita. A punição lembra o dever, mas não é a execução. Cumpre a todos jamais cair em tal estado de confusão." - Livro: Lei, Graça e Verdade
"Buda é respeitado no mundo por possuir cinco virtudes: uma conduta superior, um ponto de vista superior, uma perfeita sabedoria, uma habilidade superior de prática e o poder de levar os homens a praticarem seus ensinamentos. Além disso, outras oito virtudes capacitam Buda a conceder graças e felicidades aos homens: trazer benefícios imediatos ao mundo, através da prática de Seu ensinamento: discernir corretamente o bem do mal, o certo do errado, ensinar o caminho certo e levar os homens à iluminação, guiar os homens, de uma mesma maneira, evitar o orgulho e a ostentação, fazer e dizer aquilo a que se propôs e, assim fazendo, cumprir os votos de seu coração compassivo."
"Levados por sua ignorância, os homens estão sempre formulando pensamentos errados, estão sempre emitindo falsas opiniões e, apegando-se ao seu ego, agem erradamente. Consequentemente, eles se entranham cada vez mais no mar das desilusões." - Livro: A Doutrina de Buda

A Doutrina de Buda (Livro)
470 a.C.

Sócrates

Filósofo grego
Filósofo ateniense do período clássico da Grécia Antiga, considerado como um dos maiores, tanto da filosofía ocidental como universal. Sócrates foi iniciado órfico e não deixou obra escrita, achava mais eficiente o intercâmbio direto das ideias, mediante perguntas e respostas. Condenado à morte por envenenamento, em sentença proferida por Meleto: "...Sócrates é culpado do crime de não reconhecer os deuses reconhecidos pelo Estado e de introduzir divindades novas; ele é ainda culpado de corromper a juventude. Castigo pedido: a morte". Antes de beber a cicuta, aos 70 anos, disse diante dos amigos: "Críton, somos devedores de um galo a Asclépio; pois bem, pagai a minha dívida. Não se esqueça!"
Frases: "Sábio é aquele que conhece os limites da própria ignorância."
"Não penses mal dos que procedem mal; pense somente que estão equivocados."

"Mas, não tenhamos dúvida por isso, o homem fatalmente caminhará, na sua senda de eterna evolução; e quando se encontrar em um posto mais avançado, também estará despojado do orgulho que era antes a causa da sua morosidade em busca do absoluto, reavivando-lhe na memória as palavras sensatas de Sócrates, quando era tido pelo mais sábio dos gregos pelo Oráculo de Delfos: 'Só sei uma coisa e é que nada sei'." - Livro: Que Fizeste do Batismo de Espírito Santo?

445 a.C.

Malaquias

Profecia do Retorno de Elias - Malaquias, 4
"Lembrai-vos da Lei de Moisés, meu servo, a qual lhe mandei em Horebe para todo o Israel, a qual são os estatutos e juízos. Eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o dia grande e terrível do Senhor; e converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha e fira a terra com maldição." - ["João Batista, o Precursor" - Anotação do Sr. Osvaldo Polidoro, em Sua Bíblia, no capítulo 4 de Malaquias, com esse trecho acima sublinhado].
O Antigo Testamento termina no Livro de Malaquias e o Sr. Osvaldo Polidoro também anotou os seguintes dizeres em Sua Bíblia: "Atenção!!! Ao entrar no Evangelho, faça-se honra aos Grandes Reveladores da antiguidade - os Budas, os Vedas, Rama, Hermes, Zoroastro, Orfeu, Pitágoras, etc. Convém colocar Crisna em alto posto, como expoente do Divino Monismo".
"O Velho Testamento contém quatro verdades fundamentais:
1 – A Lei de Deus, que é inderrogável.
2 – A vinda de Elias, como Precursor do Cristo.
3 – O derrame de espírito (santo) sobre toda a carne.
4 – A vinda do Cristo, que viria cumprir a promessa de Deus, o derrame ou batismo de espírito (santo).
Textos comprovantes do Batismo de espírito (santo):
Joel - cap. 2.
João - caps. 14, 15, 16.
Atos - caps. 1 , 2 , 10, 11 , 19.
I Ep. Coríntios - caps. 12, 13, 14.
I Ep. João - cap. 4.
Apocalipse - cap. 2."

"Como estava prometido em Malaquias, 4, 4 a 6, Elias viria na frente, para dizer ao povo sobre a tarefa do Verbo Exemplar; e João Batista avisou que o Verbo cumpriria a Promessa do Derrame de Dons, que ficaria tirando a orfandade da Humanidade, jamais afirmando que Ele batizaria em Pedro." - Livreto: Como Desabrochar o Deus Interno?
"Quando foi hora de ter cumprimento aquela profecia contida em Malaquias, 4, 4 a 6, isso teve cumprimento, com a vinda de João Batista." - Boletim: Acima de Palpites Esfarrapados e Exploradores da Ignorância

428 a.C.

Platão

Encarnação do Princípio Sagrado
Filósofo e matemático - Academia de Atenas
Filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental. É amplamente considerado a figura central na história grega antiga e da filosofia. Foi inovador do diálogo escrito e das formas dialéticas da filosofia. Platão também foi fundador da filosofia política ocidental. Sua mais famosa contribuição leva seu nome, platonismo (também ambiguamente chamado de realismo platônico ou idealismo platônico), a doutrina das Formas conhecidas pela razão pura para fornecer uma solução realista para problemas universais.
"Quem comete uma injustiça é sempre mais infeliz que o injustiçado."
"Tente mover o mundo – o primeiro passo será mover a si mesmo."
"Uma vida não questionada não merece ser vivida."

"Prosseguindo, o instrutor salientou Platão, em cujas obras, por não lhe ser permitido falar abertamente, estão contidas observações iniciáticas superficiais. Mas, afirmou, lembra o fato de a ninguém ser ensinado ou revelado mais do que a sua capacidade o permitisse. Sócrates e Platão foram iniciados órficos; e da Verdade falaram apenas o que lhes permitia o sigilo esotérico." - Livro: Lei, Graça e Verdade

Os Grandes Iniciados (Livro de Édouard Schuré)
270 a.C.

Apolônio de Tiana

Encarnação do Princípio Sagrado
Filósofo e professor
Filósofo pitagórico e professor de origem grega. Seus ensinamentos influenciaram o pensamento científico por séculos após seu desencarne. Sobre Pitágoras escreveu: "Por mim discerni uma certa sublimidade na disciplina de Pitágoras, e como uma certa sabedoria secreta capacitou-o a saber, não apenas quem ele era a si mesmo, mas também o que ele tinha sido; (...) e que ele foi o primeiro da humanidade a conter a sua própria língua, inventando uma disciplina de silêncio descrito na frase proverbial, 'Um boi senta-se sobre ela'. Eu também vi que o seu sistema filosófico era em outros aspectos oracular e verdadeiro. Então corri a abraçar os seus sábios ensinamentos". A principal fonte sobre a sua biografia é a "Vida de Apolônio", de Flávio Filóstrato. Devido a algumas semelhanças de sua biografia com a de Jesus, Apolônio foi, nos séculos seguintes, atacado pelos padres da Igreja Católica, sendo considerado um impostor e até um personagem satânico. Embora tenha sido exaltado e comparando aos grandes Iniciadores do passado, como Moisés e Zoroastro.
"E o Céu vinha em seu apoio, porque o seu coração era simples e a sua vontade era servir. Assim sendo, a quarta lição versou em torno de Orfeu, o fundador do esoterismo grego, que tantos vultos fizera surgir, como Sócrates, Platão e muitos outros, culminando na figura extraordinária de Apolônio de Tiana, cujos exemplos de caráter e poderes mediúnicos tanta Luz Divina fizera verter sobre miríades de criaturas."
"O expositor chamou a atenção dos discípulos para este escrito de Apolônio: "Aproximei-me dos confins da morte, e tendo atingido o limiar de Prosérpina, regressei, tendo sido levado através de todos os elementos". Em seguida, Apolônio relata como ficou maravilhado pela iniciação feita, tendo visto, na viagem astral, as baixas regiões do espaço, onde as almas vivem conforme os graus evolutivos e os merecimentos alcançados." - Livro: Lei, Graça e Verdade
150 a.C.

Essênios

Escola de Profetas de Israel
Em 1.955, na zona árida e quente de Qumran, próximo ao Mar Morto, foram encontrados em cavernas jarros que continham documentos, revelações, leis, usos e costumes da comunidade dos essênios, conhecidos como os Manuscritos do Mar Morto.
"Antes de Jesus Cristo, a Revelação estava enclausurada nos Cenáculos Iniciáticos, nas Escolas Esotéricas. O essenismo era a Escola de Profetas de Israel, a Ordem dos Nazireus, a mais profunda em lastro histórico, pois derivava diretamente do Vedismo Iniciático, onde a fora buscar Enoch, o Patriarca antediluviano." - Livro: A Bíblia dos Espíritas
"O que nós sabemos desta seita" – Atos, cap. 28. - A seita, como diziam, era a dos NAZIREUS, e não dos NAZARENOS, como fizeram questão de adulterar os adulteradores de textos. Seita dos Nazireus era o profetismo hebreu, que começou com o Patriarca Enoch, trazendo do Extremo Oriente o Vedismo Iniciático, radicando-o em forma esotérica nas terras do Médio Oriente, muito antes do dilúvio parcial. Samuel foi, após, o seu reorganizador." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas
"Sim, – anuiu o Mensageiro, - eles foram sempre partidários da iluminação interior! Não davam importância aos engodos da idolatria, condenavam os salamaleques rituais, reprovavam tudo quanto era postiço. Entretanto, bem o sabemos, o clero levita, organizado à base de formalismos e de comércio, deu-lhes sempre muitas e várias preocupações, inclusive martírios e mortes! Ao tempo em que viveu o Portador da Graça, apenas restavam dos Profetas poucos Cenáculos, nas fronteiras do Egito e beirando o Mar Morto. Realmente, como temos aqui aprendido, a Escola Essênia tinha dois pontos fundamentais de ordem religiosa: o AMOR e a CIÊNCIA, empregando a Revelação como instrumento de pesquisas espirituais."
"Fez entender que Enoque, o Maior Patriarca dos povos hebreus primitivos, tendo viajado pela Índia a mando espiritual, trouxe de lá o primitivo essenismo, ou vedismo, fundando a Ordem dos Essênios, ou Escola de Profetas de Israel, como veio a se chamar mais tarde. Escolhiam, através de estudos e severíssimas observações, os que deviam ser os profetas. Estes deviam portar-se da melhor maneira, fossem casados ou solteiros, a fim de serem dignos das melhores e mais perfeitas mensagens espirituais. Lembrou o Velho Testamento, cheio de repetidas referências a respeito, isto é, repleto de mensagens espirituais, através de elementos nazireus ou escolhidos. Não raro, disse, os pais recebiam mensagens referentes aos futuros nascituros, razão pela qual, desde o ventre materno, já se destinavam ao ministério da Revelação. Tudo, porém, em caráter reservado ou de portas fechadas. A Ordem Essênia foi sempre a mais rigorosa em matéria de sigilo a ser mantido." - Livro: Lei, Graça e Verdade

100 a.C.

Allan Kardec

Encarnação do Princípio Sagrado
Chefe Druida
Os druidas eram espiritualistas, possuiam profundo conhecimento da natureza e das ervas medicinais, eram encarregados do ensino, aconselhamento e orientações espirituais, filosóficas e jurídicas da sociedade celta. Formavam uma classe de Iniciados dentro da sociedade celta, povo que há 3 mil anos, habitava territórios onde hoje estão o Reino Unido, norte da Espanha, de Portugal e da França, na Europa. Considerados por muitos como magos e bruxos, tinham amplo conhecimento das ervas medicinais, a filosofia dos druídas era fundamentada nos princípio de amor e da sabedoria. Eles adoravam a natureza, e estavam sempre em busca do equilíbrio com ela e com os outros seres. Cultivavam a música e a poesia.
70 a.C.

Zacarias e Isabel

Pais de João Batista
"E apareceu a Zacarias um anjo do Senhor, posto em pé da parte direita do altar..." – Lucas, cap. 1. - Anjo, espírito e alma, tudo quer dizer o mesmo na linguagem bíblica; e como diz o texto, um espírito chamado Gabriel, por mediunismo se comunicou e avisou a Zacarias, sobre o nascimento ou a reencarnação de Elias, para servir de precursor, como estava anunciado em Malaquias, cap. 4." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas

"E Zacarias, vendo-o, turbou-se, e caiu temor sobre ele. Mas o anjo lhe disse: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida, e Isabel, tua mulher, dará à luz um filho, e lhe porás o nome de João; E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe; E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, e irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos; com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto" - Lucas, 1, 12 a 17.

45 a. C.

Calendário Juliano

Caio Júlio Cesar
Caio Júlio César (13 de julho de 100 a.C. – 15 de março de 44 a.C.) foi um patrício, líder militar e político romano. Desempenhou um papel crítico na transformação da República Romana no Império Romano. Em 49 a.C., César assumiu o comando em Roma como um ditador absoluto. Ele iniciou então uma série de reformas sociais e políticas, incluindo a criação do calendário juliano. O calendário juliano foi organizado pelo sábio Sosígenes de Alexandria, no ano 46 a.C., e que deve o seu nome a uma homenagem a Júlio Cesar. A reforma do calendário juliano entrou em vigor no dia 1 de janeiro do ano 45 a.C., tornando o calendário romano num calendário solar, alinhado pelas estações do ano, à semelhança do calendário egípcio já então em vigor. O ano se iniciaria em Januarius, e não mais em Martius. Após ser assassinado em 44 a.C., Júlio Cesar foi homenageado e, para isso, lhe foi reservado o mês Julius, antigo Quintilis. Unodecembris e Duocembris foram adicionados ao final do ano de 46 a.C., deslocando assim Januarius e Februarius para o início do ano de 45 a.C. Os dias dos meses foram fixados numa sequência de 31, 30, 31, 30... de Januarius a Decembris, à exceção de Februarius, que ficou com 29 dias e que, a cada três anos, teria 30 dias. Com estas mudanças, o calendário anual passou a ter doze meses que somavam 365 dias.

20 a. C.

Maria

Encarnação da Grande Mãe
Símbolo das Mães
"Tiago, José, Simão e Judas" – Mateus, cap. 13. – Depois do nascimento de Jesus, por efeito mediúnico, Maria foi mãe de quatro filhos, que são os acima mencionados. E no sagrado ministério da maternidade, todas as mulheres participam das graças daquela que foi escolhida para a encarnação do Cristo Planetário. O processo de encarnação é sempre comum, embora os fenômenos causais possam variar. Quando leis superiores interferem, leis inferiores cedem o lugar. E como Jesus vinha batizar em mediunismo, teve a Sua vida plena de grandiosos efeitos mediúnicos, nada mais." - Livro: O Novo Testamento dos Espíritas
"PROGRAMA DE MARIA
Programa recomendado por Maria, exclusivamente evangélico, fora de falsas interpretações de textos, desvios, etc. Aqueles que prezarem a VERDADE, o AMOR e a VIRTUDE, através da Lei de Deus, do Filho Modelo e da Revelação que adverte, ilustra e consola, compreenderão o motivo deste programa. A Divina Ordem Moral rege a Criação e, portanto, para evitar o pranto e o ranger dos dentes, é sobre Ela que tudo deve ser sabido, sentido e praticado." - Livro: Evangelho Eterno e Orações Prodigiosas
"Maria Maior foi indicada a comandar o Serviço de Amparo, ou Retirada de Espíritos Sofredores, das faixas da subcrosta, dos umbrais, e da atmosfera ou de junto aos encarnados. Quando a Justiça Divina ordena, Maria orienta as Legiões Socorristas nesse sentido. Estudem a Oração à Maria, meditem sobre sua inteligência, porque é de Deus que ela deriva." - Boletim: Campanha da Oração pelo Retorno à Verdade Doutrinária

6 meses a.C.

João Batista

Encarnação do Princípio Sagrado
Precursor do Verbo Modelar e Modelador
João nasceu numa pequena aldeia chamada Ein Kerem, a cerca de seis quilômetros de distância a oeste de Jerusalém. Segundo interpretações do Evangelho de Lucas, era um nazireu de nascimento, filho do sacerdote Zacarias e de Isabel, prima de Maria.
"Fiquei ciente da missão do Precursor, que era anunciar a chegada do batizador em Espírito Santo, daquele derramador de dons e revelações, tão aguardado. Soube ter tudo seguido uma trilha pura e francamente integrada nas disposições do Supremo Senhor. O Cristo sucedeu ao Precursor na hora exata, começando a evidenciar os poderes dos dons despertos. A sequência de feitos, diz o livrinho, é atestado da prova que o Mestre oferecia, dos valores efetivamente representativos dos dotes internos. Tudo queria dizer: DESPERTAI-VOS!" - Livro: As Margens do Mar Morto
"Como Elias deveria vir na frente, preparando o ambiente, o Velho Testamento termina em Malaquias, 4, 4 a 6, assinalando muito bem a Tarefa de Apresentador, pois sendo a reencarnação de Moisés, ou Elias, João Batista representou a Lei de Deus, que aponta para o Verbo Exemplar, o Modelo de tudo que deriva de Deus, o Princípio, e a Ele retorna, como Uno ou em Espírito e Verdade. A Lei manda imitar o Verbo e o Verbo ordena viver a Lei;" - Boletim O Fim da Ignorância e dos Sofrimentos

"Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor; endireitai no ermo vereda a nosso Deus" - Isaías, 40, 3.
"Conforme está escrito na profecia de Isaías; Eis aí´envio diante da tua face o meu mensageiro, o qual preparará o teu caminho; voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas" - Marcos, 1, 2 a 3.
"Porque é este de quem está escrito: Eis que diante da tua face envio o meu anjo, que preparará diante de ti o teu caminho. Em verdade vos digo que, entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior do que João Batista; mas aquele que é o menor no reino dos céus é maior do que ele. E, desde os dias de João Batista até agora, se faz violência ao reino dos céus, e pela força se apoderam dele. Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João. E se quereis dar crédito, é este o Elias que havia de vir" - Mateus, 11, 10 a 14.